domingo, 21 de outubro de 2012

AFAGOS NA ALMA




Vejo com os olhos da alma
A invisível dor materializada
Em crateras a beira do abismo sem fim
Externando caricias gris
Num momento de calma

Deleite de afagos
Remédio para a cura
Das cicatrizes da paixão
A felicidade é um beijo de manga
O amor surge como naufrago no chão

Afagos na alma
Oasis de essência
Do eclipse que banha no lago
O sorriso apaixonado
É a voz do silencio fugaz
Olhos fechados, pés descalços, o corpo se acalma
























4 comentários:

  1. Às vezes, tudo que almejo
    É que me vejas
    Com os olhos da alma
    Que me decifre
    Pelo meu sorriso apaixonado...

    ResponderExcluir
  2. Às vezes, tudo que almejo
    É que me vejas
    Com os olhos da alma
    Que me decifre
    Pelo meu sorriso apaixonado...

    ResponderExcluir